Luz do Eterno por  Anna Lou Olivier
   Home      Quem ama não mata

Conta-se que, certa vez o Rabino Kotzk (1787 – 1859) avistou um jovem (há versões que relatam que foi num Shabat) literalmente abocanhando um peixe. Comia deliciando-se. Então o Rabbi perguntou ao jovem:

- Porque você está comendo este peixe?

- Porque eu amo peixe!

- Não! (respondeu o Rabbi) – você não ama o peixe, se o amasse, não iria pescá-lo, cozinhá-lo nem comê-lo. Você ama a você mesmo e, como o peixe satisfaz seu paladar, você o mata e o come...


São várias as versões desta história, mas a essência é a mesma. Quem ama, não mata, não fere, não se alimenta do que diz amar. Isso nos remete ao início Bereshit/Gênesis 1:29 “Eis que vos tenho dado toda erva que produz semente, que se acha sobre a face de toda a terra, e todas as árvores em que há fruto que dá semente; a vós servirá como alimento” A ordem inicial de Deus ao homem foi que tivesse uma alimentação vegetariana. Há uma grande diferença entre ordenar e permitir. O que ocorreu após o dilúvio foi que Deus permitiu que o homem se alimentasse de animais pois o próprio dilúvio havia destruído a plantação.


Bereshit/Gênesis 1:30 segue afirmando: “E para todo animal da terra, e toda ave do céu e tudo que se arrasta sobre a terra, em que haja alma viva; todas as ervas verdes será para comer. E assim foi.” Esta afirmação frisa que até mesmo os animais que rastejam sobre a terra tem uma alma. Isso é muito significativo porque frisa que Deus estipulou uma dieta vegetariana, a todos os seres vivos da Terra. Consequentemente o veganismo, já que não havia na época nenhuma intenção de se usar uma bolsa ou sapato de couro ou uma vestimenta de peles e por ai vai.


O que aconteceu após Bereshit/Gênesis 1 e 2 e que pode, por vezes, ser usado como argumento para justificar a ingestão de carne e outras permissões, são questionáveis e devem ser interpretadas de forma profunda, já que a Torah (ou o Velho Testamento ou ainda o Pentateuco) não se propõe a ser um livro de histórias nem de simples regras. E sim um verdadeiro guia que deve ser interpretado de forma profunda para evitar mal-entendidos.


O importante aqui é frisar que a ordem inicial de Deus foi o vegetarianismo/veganismo e em diversas passagens em que se comunicou direta ou indiretamente com o povo hebreu, Deus reforçou esta ordem. No curso Autoconhecimento e Elevação Luz do Eterno Estudos bíblicos analisamos em detalhes todas estas passagens, além de estudos aprofundados sobre toda a Torah/Tanakh (Bíblia). Saiba mais sobre este curso, clicando aqui ou escreva-nos, clique aqui


Gostou deste artigo? Clique e Compartilhe: